A Hora da Estrela - Clarice Lispector

“A verdade é sempre um contato interior inexplicável. A minha vida a mais verdadeira é irreconhecível, extremamente interior e não tem uma só palavra que a signifique.”

“Quem já não se perguntou: sou um monstro ou isso é ser uma pessoa?”

“É que ‘quem sou eu’ provoca necessidade. E como satisfazer a necessidade? Quem se indaga é incompleto.”

“...cada dia é um dia roubado da morte.”

“Escrevo por não ter nada a fazer no mundo: sobrei e não há lugar para mim na terra dos homens. Escrevo porque sou um desesperado e estou cansado, não suporto mais a rotina de me ser e se não fosse a sempre novidade que é escrever, eu me morreria simbolicamente todos os dias. Mas preparado estou para sair discretamente pela porta dos fundos. Experimentei quase tudo, inclusive paixão e o seu desespero. E agora só quereria ter o que eu tivesse sido e não fui."

“E quando acaricio a cabeça de meu cão – sei que ele não exige que eu faça sentido ou me explique.”

“...que os mortos me ajudem a suportar o quase insuportável, já que de nada me valem os vivos.”

“...fatos são pedras duras. Não há como fugir. Fatos são palavras ditas pelo mundo.”

“Pois há momentos em que a pessoa está precisando de uma pequena mortezinha e sem nem ao menos saber.”

“A vida é um soco no estômago.”

“A morte é um encontro consigo.”