Os Melhores Contos - Clarice Lispector

“E quando o pão se virou em pedra e ouro aos meus dentes, eu fingi por orgulho que não doía, eu pensava que fingir força era o caminho nobre de um homem e o caminho da própria força.” (Uma Ira)

“Se ele se quebrar, pensam que morreu? Não, foi simplesmente embora de si mesmo.” (O Relatório da Coisa)

“Hoje, de repente, como num verdadeiro achado, minha tolerância para com os outros sobrou um pouco para mim também (por quanto tempo?).” (Literatura e Justiça)

“É preciso ter coragem para fazer um brainstorm: nunca se sabe o que pode vir a nos assustar.” (Tempestade de Almas)

“Estou um pouco desnorteada como se um coração me tivesse sido tirado, e em lugar dele estivesse agora a súbita ausência, uma ausência quase palpável do que era antes um órgão banhado da escuridão da dor. Não estou sentindo nada. Mas é o contrário de um torpor. É um modo mais leve e mais silencioso de existir.” (Tanta Mansidão)

“...o que me agradaria dizer-lhe é que você um dia terá o que agora procura tão confusamente. É uma espécie de calma que vem do conhecimento de si própria e dos outros. Mas não se pode apressar a vinda desse estado. Há coisas que só se aprende quando ninguém as ensina. E com a vida é assim. Mesmo há mais beleza em descobri-la sozinha, apesar do sofrimento.” (Gertrudes Pede um Conselho)

“Ela olha o mar, é o que pode fazer. Ele só lhe é delimitado pela linha do horizonte, isto é, pela sua incapacidade humana de ver a curvatura da terra.” (As Águas do Mar)

“Então era assim?, eu andando pelo mundo sem pedir nada, sem precisar de nada, amando de puro amor inocente, e Deus a me mostrar o seu rato? A grosseria de Deus me feria e insultava-me. Deus era bruto. Andando com o coração fechado, minha decepção era tão inconsolável como só em criança fui decepcionada.” (Perdoando Deus)

“Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões, é que se ama verdadeiramente.” (Perdoando Deus)

Veronika Decide Morrer - Paulo Coelho

“Louco é quem vive em seu mundo.”

“– Está frio, mas é uma bonita manhã – disse Zedka. – É curioso, mas minha depressão nunca aparecia em dias como este, nublados, cinzentos, frios. Quando o tempo estava assim, eu sentia que a natureza estava de acordo comigo, mostrava minha alma.”

“Imagine um lugar onde as pessoas se fingem de loucas, para fazer exatamente o que querem?”

“– (...) Você está vendo o que eu tenho no pescoço?
– Uma gravata.
– Muito bem. Sua resposta é lógica, coerente com uma pessoa absolutamente normal: uma gravata! Um louco, porém, diria que eu tenho no pescoço um pano colorido, ridículo, inútil, amarrado de uma maneira complicada, que termina dificultando os movimentos da cabeça e exigindo um esforço maior para que o ar possa entrar nos pulmões. Se eu me distrair enquanto estiver perto do ventilador, posso morrer estrangulado por este pano. Se um louco me perguntar para que serve uma gravata, eu terei que responder: para absolutamente nada. Nem mesmo para enfeitar, porque hoje em dia ela tornou-se símbolo da escravidão, poder, distanciamento. A única utilidade da gravata consiste em chegar em casa e retirá-la, dando a sensação de que estamos livres de alguma coisa que nem sabemos o que é. Mas a sensação de alívio justifica a existência da gravata? Não. Mesmo assim, se eu perguntar para um louco e para uma pessoa normal o que é isso, será considerado são aquele que responder: uma gravata. Não importa quem está certo – importa quem tem razão.”

“Não confundam a loucura com a perda de controle.”

“Na opinião de Mari, esta dificuldade não se devia ao caos, ou à desorganização, ou à anarquia – e sim ao excesso de ordem. A sociedade tinha cada vez mais regras – e leis para contrariar as regras – e novas regras para contrariar as leis; isso deixava as pessoas assustadas, e elas já não davam um passo sequer fora do regulamento invisível que guiava a vida de todos.”

“Outras coisas, porém, vão se impondo porque cada vez mais gente acredita que elas têm que ser assim.”

“Cada ser humano é único, com suas próprias qualidades, instintos, formas de prazer, busca de aventura. Mas a sociedade termina impondo uma maneira coletiva de agir – e as pessoas não param para se perguntar por que precisam se comportar assim.”

Tábula Rasa - Steven Pinker

“...as aves voam explorando as leis da física, e não as desafiando.”

“Além de fornecer uma justificativa direta para o conflito violento, a ideologia da luta entre grupos desencadeia uma característica perversa da psicologia social humana: a tendência em dividir as pessoas em pertencentes ao grupo e não pertencentes ao grupo e a tratar os de fora como menos do que humanos. Não importa se os grupos são definidos segundo sua biologia ou sua história. Psicólogos descobriram que podem criar hostilidade instantânea entre grupos dividindo pessoas sob praticamente qualquer pretexto, até mesmo com base no cara-ou-coroa.”

“Muitos analistas da direita religiosa e cultural acreditam que qualquer comportamento que lhes pareça biologicamente atípico, como a homossexualidade, a abstenção voluntária de ter filhos e as mulheres assumindo papéis masculinos tradicionais e vice-versa, deve ser condenado por ser ‘antinatural’. (...) Esse tipo de raciocínio moral só pode provir de pessoas que não sabem nada de biologia. A maioria das atividades que os guardiões da moral exaltam – ser fiel ao cônjuge, oferecer a outra face, tratar toda criança como alguém precioso, amar o próximo como a si mesmo – são ‘erros biológicos’ e totalmente antinaturais no resto do mundo vivo.”

“Estão confundindo explicação com absolvição. Ao contrário do que insinuam os críticos das teorias das causas biológicas e ambientais do comportamento, explicar um comportamento não é desculpar quem o executou.”

“Nosso sistema visual pode pregar peças em nós, e isso basta para provar que ele é um dispositivo, e não um conduto para a verdade.”

“Sentimos fome, saboreamos a comida e temos paladar para identificar incontáveis gostos fascinantes porque os alimentos foram difíceis de obter durante a maior parte de nossa história evolutiva. Normalmente não sentimos anseio, deleite ou fascínio com o oxigênio, muito embora ele seja crucial para a sobrevivência, pois nunca foi difícil obtê-lo. Simplesmente respiramos.”

“Sem a possibilidade do sofrimento, o que teríamos não seria uma bem-aventurada harmonia, e sim nenhuma consciência.”

“Já somos afortunados por viver em uma sociedade que mais ou menos funciona, e nossa prioridade deveria ser não estragá-la, pois a natureza humana sempre nos deixa à beira do barbarismo.”

“A história acusa nossa espécie não só com o número de assassinatos mas com o modo de matar. Centenas de milhões de cristãos decoram suas casas e adornam o corpo com o modelo de um instrumento que infligia morte inimaginavelmente dolorosa a pessoas que se fizessem incômodas para os políticos romanos.”

“Ivan Karamazov, o personagem de Dostoievski, ao saber das atrocidades cometidas pelos turcos na Bulgária, comentou: ‘Nenhum animal jamais poderia ser tão cruel quanto um homem; tão engenhosamente, tão artisticamente cruel’.”

“A vida é um jogo de pinball no qual ricocheteamos por um campo de calhas e batentes. Talvez nossa história de colisões e raspões explique o que nos fez ser como somos.”

“A verdade não se importa com nossas esperanças.”