Raul Seixas, O Sonho da Sociedade Alternativa - Luciane Alves

"Esse é o grande problema enfrentado por aqueles que querem exteriorizar suas vontades, pois não encontram apoio nas outras pessoas que ainda hesitam em acreditar nos seus poderes interiores. E essas acabam condenando aquelas que já perceberam que são capazes de realizar mudanças significativas. Isso ocorre porque a grande maioria das pessoas é criada e educada dentro de um padrão que consideram normal. Se um indivíduo discorda desses padrões e resolve organizar sua vida de acordo com o que ele acha que é melhor, certamente será considerado um subversivo..."

"Raul É, o maluco beleza não é um maluco louco, envolvido com drogas, como o povo pensa não... O maluco beleza é você estar iluminado, estar certo de você mesmo... certo de sua loucura. Misturando lucidez com maluquez. Uma loucura que não é prejudicial..."

"Paulo – Uma vez você disse: 'Se eu fosse burro eu sofria menos.'
Raul – É, me lembro sim.
Paulo – É uma frase muito forte essa. O que você quis dizer com ela?
Raul – Quis dizer muita coisa, né, Paulo? A gente que tem a sensibilidade muito grande, qualquer coisa aguça isso, fere, dói. Cada olhar... quando você vira o pescoço à sua volta você já captou tudo, já engoliu tudo... já comeu. E o que entra quando você passa os olhos ao redor... entra tudo, sem filtro... entra o bom, o ruim, o doce, o amargo, o azedo... sem filtro nenhum. E para coar no seu estômago, principalmente quando se está com o estômago vazio, é duro! Explode dentro de uma barriga vazia." 

"Bicho, eu falo coisas que só mais tarde eu me dou conta do que eu disse e dependendo do nível da pessoa que me ouve, nunca vai entender."

"Uma pessoa 'diferente' é considerada perigosa porque pode apontar para novas direções, pode descortinar novos horizontes, pode abrir os olhos dos demais para outras verdades. É perigoso, para uma sociedade estabilizada, um ser que possa plantar uma semente de transformação, porque toda mudança implica numa revisão de antigos valores já estabelecidos e impostos como a melhor maneira de viver. O que se esquece é que não existe uma maneira ideal, pois tudo é movimento. O próprio universo, aparentemente tão estável, vive em uma dança constante, numa expansão eterna. Não há fim... Qualquer tentativa de padronização transforma-se, automaticamente, em estagnação, que é um atraso no crescimento e, portanto, um crime contra as leis da natureza."

Missionários da Luz - Chico Xavier

"...as cristalizações mentais de muitos anos não se desfazem com esclarecimentos verbais de um dia."

"Com que direito perturbaríamos o coração de uma pobre viúva na Crosta, a pretexto de sermos verdadeiros? Por que motivo tisnar a esperança tranquila de três crianças adoráveis, envenenando-lhes, talvez, o destino, tão só para nos exibirmos como campeões da realidade? Haverá mais alegria em mostrar a sombra do crime que em descobrir a fonte do conforto? André, meu irmão, a vida pede muito discernimento! Cada palavra tem sua ocasião, como cada revelação o seu tempo."

Um mendigo original - João do Rio

"A verdadeira inteligência é a que se limita para evitar dissabores."

Fragmento trazido pelo vento

"Pessoas com vidas interessantes não têm fricote. Elas trocam de cidade. Investem em projetos sem garantia. Interessan-se por gente que é o oposto delas. Pedem demissão sem ter outro emprego em vista. Aceitam um convite para fazer o que nunca fizeram. Estão dispostas a mudar de cor preferida, de prato predileto. Começam do zero inúmeras vezes. Não se assustam com a passagem do tempo. Sobem no palco, tosam o cabelo, fazem loucuras por amor, compram passagens só de ida." (Doidas e Santas - Martha Medeiros)

Fragmentos trazidos pelo vento

“No deserto, para espantar os lobos, os homens batem panelas. Na vida, para afastar o encontro pessoal, costumamos bater panelas também. O filósofo Julián Marías nos falava que o homem vive à procura do que fazer.Esse “que fazer” dá o sentido à vida, que concretiza a nossa existência à medida que vamos nos fazendo. Quando não trabalhamos bem nosso interior, somos um alvo fácil às artimanhas do mundo exterior. Note a angústia das pessoas que se embrenharam no mundo das celebridades sem um mínimo de conteúdo ou daquelas que montam sua vida em cima de um belo corpo ou na beleza fútil.” (entrevista Waldir Pedro, Revista Filosofia, Agosto 2012)

“A comodidade consiste em não questionar se o que estamos fazendo realmente é o que queremos ou se as circunstâncias nos levaram a isso. Para não enfrentar essa pergunta, vamos criando sonhos dentro da nossa zona de conforto. Por isso a Filosofia provoca algumas crises existenciais; diante de pensamentos discordantes, conseguimos ver que alguns valores nos quais alicerçamos nossa existência são fracos. As grandes personalidades se firmaram no tempo por ter a coragem de romper com o estabelecido. A comodidade se dá quando caminhamos como rebanho, com um líder à frente, e não temos a coragem de ser diferentes e lutar por convicções e ideias de vida.” (entrevista Waldir Pedro, Revista Filosofia, Agosto 2012)

“A novidade tornou-se fonte de valor mundano, marca de excelência social; é preciso seguir “o que se faz” de novo e adotar as últimas mudanças do momento. (...) ‘regras de comportamento adotadas que só agradam pela novidade, e, antes de se tornarem costume, terão de ser trocadas por outras formas igualmente passageiras.’” (Revista Filosofia, Agosto 2012)

“O discurso da moda promete ao consumidor a falsa possibilidade de se tornar uma pessoa singular ao adquirir determinado produto, diferenciando-se assim do rebanho social anônimo. Afinal, cada indivíduo sonha em se destacar da cuba humana e atingir um patamar social de venerabilidade, utilizando-se de todos os meios econômicos para obter tal distinção, cabendo assim o comentário do sociólogo estadunidense Don Slater: ‘As pessoas compram a versão mais cara de um produto não porque tem mais valor de uso do que a versão mais barata (embora possam usar essa racionalização), mas porque significa status e exclusividade.’” (Revista Filosofia, Agosto 2012)

O Demônio e a Senhorita Prym - Paulo Coelho

“Ahab conhecia realmente a natureza humana: não é a vontade de seguir as leis que faz com que todos se comportem como manda a sociedade, e sim o medo do castigo. Cada um de nós carrega essa forca dentro de si”

“Seria uma semana de confissões e arrependimentos, como se pudessem enganar a Deus.”

“Tudo que seu anjo precisava era que ela dormisse um pouco, para poder conversar com sua alma, sem a interferência dos medos e culpas que os seres humanos adoram carregar todos os dias.”

“Todos se ajoelharam a contragosto, sabendo que era inútil pedir perdão a Deus por um pecado que cometiam com plena consciência do mal que estavam causando.”

“Para dominar um homem, faça com que ele tenha medo.”

19 de agosto de 2012

5 anos de fragmentos.

O Quinze - Rachel de Queiroz

“Uma vontade obscura e incerta de ascender, de voar! Um desejo de se introduzir a grandes passos na imensa treva da noite, e a atravessar, e a romper, esquecido das lutas e trabalhos, e penetrar num vasto campo luminoso onde tudo fosse beleza, e harmonia, e sossego. Desejo de se integrar numa natureza diferente daquela que o cercava, de crescer, de subir, de bracejar num emaranhado de ramos, de se sentir envolto em grandes flores macias, de derramar seiva, a seiva viva e forte que o incandescia e tonteava. Mas o cansaço o amolentava.”

“Onde ficava afinal o mérito superior do Paulo, que o colocava tão alto no conceito da família, que punha sob o bigode branco do major um sorriso desvanecido, quando dizia, numa conversa:
– Meu filho, o doutor...
Seria por suportar com mais paciência a maçada das aulas, onde um velho pedante disserta, por se enfrascar com inexplicável interesse em leituras difíceis, que só de recordá-las sentia calafrios de preguiça e de tédio? E o seu esforço constante, sua energia, sua saúde, sua alma que nunca suportou a servidão a uma disciplina ou a um professor, que não admitia que o mandassem agir e que o mandassem pensar... não valeriam muito mais que um interesse estéril de juristas por abstrações, ou o quase culto do servilismo de aluno pelo mestre; depois de formado, o mestre fora substituído pelo juiz, de quem suportava as anedotas e a carranca, de quem comia os jantares, a quem namorava a filha, visando apenas promoção, prestígio... Então ser superior é renunciar ao seu feitio e à sua vontade e, recortando todo o excesso de personalidade, amoldar-se à forma comum dos outros?”

O Manual do Guerreiro da Luz - Paulo Coelho

“Mas ele não dá importância aos comentários, porque os amigos não conhecem suas táticas de combate. Um guerreiro da luz sabe o que quer. E não precisa ficar explicando.”

“Uma guerra prolongada termina também destruindo o vitorioso.”

“‘Já passei por isso’, ele reclama em seu coração. ‘Realmente, você já passou’, responde o coração. ‘Mas nunca ultrapassou’. O guerreiro então compreende que as experiências repetidas têm uma única finalidade: ensinar-lhe o que não quer aprender.”

“Um guerreiro não passa seus dias tentando representar o papel que os outros escolheram para ele.”

“Sofrem por coisas inúteis, têm atitudes mesquinhas e às vezes se julgam incapazes de crescer. Frequentemente acreditam-se indignos de qualquer bênção ou milagre. Nem sempre têm certeza do que estão fazendo aqui. Muitas vezes passam noites em claro, achando que suas vidas não têm sentido. Por isso são guerreiros da luz. Porque erram. Porque se perguntam. Porque procuram uma razão – e com certeza vão encontrá-la.”

“O guerreiro da luz não tem medo de parecer louco. (...) O guerreiro parece louco, mas isto é apenas um disfarce.”

“Para ter fé em seu próprio caminho, não precisa provar que o caminho do outro está errado.”

“Se ficar esperando o momento ideal, nunca sairá do lugar, é preciso um pouco de loucura para dar o próximo passo.”

“Dentro de cada um de nós existe um anjo e um demônio, e suas vozes são muito parecidas.”

“Nisto reside a força da água: ela jamais pode ser quebrada por um martelo, ou ferida por uma faca. A mais poderosa espada do mundo é incapaz de deixar uma cicatriz em sua superfície.”

“Olha para os lados e identifica seus amigos. Olha para trás e identifica seus adversários. (...) ...apenas afasta os inimigos de sua vida, sem lutar com eles além do tempo necessário.”

“’O que eu faria se tivesse que lutar comigo mesmo?’ Desta maneira, descobre seus pontos fracos.”

“Às vezes o guerreiro da luz tem a impressão de viver duas vidas ao mesmo tempo. Em uma delas, é obrigado a fazer tudo o que não quer, lutar por ideias nas quais não acredita. Mas existe uma outra vida, e ele a descobre em seus sonhos, leituras, encontros com gente que pensa como ele. O guerreiro vai permitindo que suas duas vidas se aproximem. ‘Há uma ponte que liga o que eu faço com o que eu gostaria de fazer’, pensa. Aos poucos, os seus sonhos vão tomando conta da sua rotina, até que ele percebe que está pronto para o que sempre quis. Então, basta um pouco de ousadia – e as duas vidas se transformam numa só.”

“Existem momentos de agir e momentos de aceitar.”

“Sim, esta vida é uma loucura. Mas a grande sabedoria do guerreiro da luz consiste em escolher bem sua loucura.”

“Celebra hoje sua vitória de ontem, para ter mais forças na batalha de amanhã.”

“Ele usa o bom senso para julgar o resultado de seus atos – e não as intenções que teve ao executá-lo.”

“O guerreiro da luz também possui suas lembranças, mas consegue separar o que é útil do que é desnecessário: ele joga fora o seu lixo emocional.”

“Há momentos em que, ao dizer sim para os outros, ele pode estar dizendo não para si mesmo.”

“Quando o guerreiro da luz começa a plantar o seu jardim, repara que o vizinho está ali, espiando. Ele gosta de dar palpites sobre como semear as ações, adubar os pensamentos, regar as conquistas. Se der atenção ao que ele está dizendo, terminará fazendo um trabalho que não é o seu; o jardim de que agora cuida será ideia do vizinho.”

Fragmento trazido pelo vento

“Não é que alguém tenha de negar ou abandonar de vez a efêmera felicidade material. Mas, ao experimentar outros níveis de consciência, você se torna muito menos dependente do externo para ser feliz. Fama, sucesso, beleza e riqueza material diminuem de importância de forma absolutamente natural.” (Revista Vida Simples - Outubro, 2009)

Fragmento trazido pelo vento

“Há uma diferença fundamental entre ser simples e ser simplório. Os simples resolvem a complexidade, os simplórios a evitam. Eu conheço pessoas sofisticadas, intelectualizadas, que levam uma vida plena, realizam trabalhos difíceis, apreciam leituras profundas e têm hábitos peculiares. E continuam sendo pessoas descomplicadas. Conheço também pessoas simplórias, com pouca profundidade, que realizam trabalhos repetitivos, que têm poucas ambições, que apreciam rotinas e evitam os sustos de uma vida aventurosa. E mesmo assim são pessoas complicadas, para elas tudo é muito difícil, em geral impossível.” (Revista Vida Simples - Março 2010)

“Pessoas assim, que fazem a opção da simplicidade, têm alguns traços comuns. Identifico cinco deles: 1. São desapegadas: não acumulam coisas, fazem uso racional de suas posses, doam o que não vão usar mais. 2. São assertivas: vão direto ao ponto com naturalidade, mesmo que seja para dizer não, sem medo de decepcionar, não "enrolam" nem sofisticam o vocabulário desnecessariamente. 3. Enxergam beleza em tudo: em uma flor no campo e em um quadro de Renoir; em uma modinha de viola e em uma sinfonia de Mahler; em um pastel de feira e na alta gastronomia. 4. Têm bom humor: são capazes de rir de si mesmas e, mesmo diante das dificuldades, fazem comentários engraçados, reduzindo os problemas à dimensão do trivial. 5. São honestas: consideram a verdade acima de tudo, pois ela é sempre simples e, ainda que possa ser dura, é a maneira mais segura de se relacionar com o mundo.” (Revista Vida Simples - Março 2010)

“Ser simples, definitivamente, não é abrir mão de nada. É possível apreciar o conforto, a sofisticação intelectual, as artes, o prazer da culinária, a aventura das viagens e continuar sendo simples.” (Revista Vida Simples - Março 2010)

Fragmento trazido pelo vento

“Nos países onde a cultura judaico-cristã tem influência, o prazer está intimamente associado à culpa. Ter prazer significa, basicamente, pecar. E estar em estado de pecado significa que se está dissonante de Deus.” (Revista Vida Simples - Junho, 2010)

Brida - Paulo Coelho

“Quando alguém encontra seu caminho, não pode ter medo. Precisa ter coragem suficiente para dar passos errados.”

“Estudamos o que vemos, e nem sempre que vemos é o que existe.”

“– Mas é possível que os átomos do corpo de alguém que já morreu estejam no meu corpo e no corpo de uma outra pessoa?
Ele ficou quieto por algum tempo.
– Sim, é possível.”

“Aprender uma coisa significa entrar em contato com um mundo do qual não se tem a menor idéia. É preciso ser humilde para aprender.”

“Sabia que ninguém mais iria ouvi-la com o mesmo respeito, porque as pessoas tinham medo de saber como a vida era mágica; estavam acostumadas com suas casas, seus empregos, suas expectativas, e se alguém aparecesse dizendo que era possível viajar no tempo – era possível ver castelos no Universo, tarots que contavam histórias, homens que caminhavam pela noite escura – as pessoas iriam se sentir roubadas pela vida, porque elas não tinham aquilo, a vida delas era o dia sempre igual, a noite sempre igual, os fins de semana iguais.”

“Não se preocupe em explicar emoções.”

“No final iriam rir dos medos que tiveram no início.”

“Conhecimento sem transformação não é sabedoria.”

“Nunca deixe de ter dúvidas. Quando as dúvidas param de existir, é porque você parou em sua caminhada. (...) Mas tome cuidado com uma coisa:jamais deixe que as dúvidas paralisem suas ações. Tome sempre todas as decisões eu precisar tomar, mesmo sem ter segurança ou certeza de que está decidindo corretamente. Ninguém erra quando está agindo...”

“Agora, enquanto estamos aqui, comendo, noventa e nove por cento das pessoas desse planeta lidam, à sua maneira, com esta pergunta. Para quê estamos aqui? Muitas pensam que descobriram as respostas em suas religiões, ou no materialismo. Outras se desesperam, e gastam sua vida e sua fortuna tentando entender esse significado. Alguma poucas deixaram que esta pergunta passasse em branco, e vivem apenas o momento, sem se preocupar com os resultados e as consequências."

“Se ela era capaz de fazer uma pergunta, é porque, em outro universo, havia uma resposta.”

Sherlock Holmes em: Um Estudo em Vermelho - Arthur Conan Doyle

"Que um ser humano civilizado não soubesse que a Terra se movia ao redor do Sol, era pra mim um fato tão extraordinário que mal podia compreendê-lo.
– Você parece espantado – disse ele, sorrindo da minha expressão de surpresa. – Agora que já sei essa informação, farei o possível para esquecê-la.
– Esquecê-la!
– Veja – explicou –, acho que o cérebro do homem é originalmente como um pequeno sótão vazio, que temos que abastecer com a mobília que escolhemos. Um tolo pega todo e qualquer traste velho que encontra no caminho, de modo que o conhecimento que poderia lhe ser útil fica de fora por falta de espaço ou, na melhor das hipóteses, acaba misturado com uma porção de outras coisas, o que dificulta o seu possível emprego. Mas o trabalhador de talento é muito cuidadoso a respeito do que coloca no seu sótão-cérebro. Só acolhe as ferramentas que podem ajudá-lo a realizar seu trabalho, mas dessas ferramentas ele tem uma enorme coleção, e tudo disposto na mais perfeita ordem. É um erro pensar que o pequeno quarto tem paredes elásticas e pode se distender em qualquer dimensão. Acredite, chega uma época em que para cada novo conhecimento é preciso esquecer alguma coisa que se conhecia antes. É da maior importância, portanto, não ter fatos inúteis empurrando para fora os úteis.
– Mas o sistema solar! – protestei.
– Que me importa?  – interrompeu impacientemente.  – Você diz que giramos ao redor do Sol. Se girássemos ao redor da Lua, não faria a menor diferença para mim ou para o meu trabalho."

"Tudo o que é fora do comum é geralmente mais uma orientação que um estorvo."   

Fragmentos trazidos pelo vento

“Até o instante em que as escolhas antigas tornam-se obsoletas e novas se fazem necessárias – mesmo que seja para continuar na trajetória anterior (no casamento, na carreira, naquele modo de viver), mas com outra presença e outros paradigmas. E como identificar esse instante de revelação? ‘É um forte chamado interior, como se uma parte bastante profunda de você – a alma e não o ego – o conduzisse para um rumo um tanto indefinido. Mas, aos poucos, aquele caminho vai fazendo sentido’.” (Revista Vida Simples - Maio 2007)

“O problema é que o ser humano, ainda mais na sociedade consumista de hoje, não se contenta apenas em vivenciar algo; ele quer possuir esse algo, retê-lo, conservá-lo em formol para que se mantenha 'para sempre' tal e qual era no início – e isso vale para tudo: um parceiro, um emprego, um status, um argumento, até uma rotina.” (Revista Vida Simples - Maio 2007)

“Um adeus autêntico exige coragem, ainda mais quando vai contra o que propõe a sociedade contemporânea. Valores como segurança e estabilidade (muito mais no sentido da imobilidade que da harmonia) permanecem em alta. Então, por que arriscar? Ao mesmo tempo, a sociedade também nos impele ao frenesi das falsas mudanças (de carro, roupas, bens de consumo, parceiros sexuais…) que nos iludem com suas promessas de felicidade.” (Revista Vida Simples - Maio 2007)

Fragmento trazido pelo vento

"O mal que causamos acontece geralmente pela falta de consciência do que fazemos e pela nossa ausência de visão com relação às estrondosas consequências que podem ser geradas com base em nossas atitudes. Somos inconscientes do mal que praticamos, e que, aliás, na maioria das vezes é feito em nome do bem, ou do que achamos que ele é. 'Está na ordem do dia ser reconhecido como alguém que pratica o bem; em contrapartida, perpetuamos posturas em nosso cotidiano que reproduzem situações de nítida desigualdade ou preconceito.'" (Revista Vida Simples – Abril 2010)

José Saramago

"Somo os únicos animais cruéis que existem sobre a face da Terra. Todos os animais são violentos, nós também temos que ser violentos porque temos que matar para viver, temos que matar animais se queremos viver, ou plantas, que também são seres vivos, agora, nenhum animal tortura outro animal, e o ser humano tortura outro ser humano. Diga-se para que é que serve a razão numa situação dessas. Parece que o instinto serve melhor aos animais do que a razão serve ao homem." (entrevista de José Saramago ao programa Roda Viva - 1997)

O Natal de Poirot - Agatha Christie

“Gente! Uma quantidade interminável de gente, gente que não acabava mais. E todos tão, tão – como era mesmo a palavra? – enfadonhos! Tão parecidos, tão terrivelmente parecidos. Os que não tinham rosto de carneiro, tinham de coelho, ele pensou. Alguns conversavam e faziam algazarra. Outros, homens corpulentos de meia idade, grunhiam. Estes mais pareciam porcos. Até mesmo as garotas, esguias, de rostos ovais e lábios escarlates, tinham uma uniformidade deprimente.”

"Todos têm de morrer! A vida é assim, não é? E se a morte vem rapidamente do céu, bum!, assim, de uma maneira ou de outra, dá no mesmo. A gente vive durante um período, claro, e depois morre. É isso o que sempre acontece nesse mundo.”

“– (...) Existe, no Natal, um espírito de boa vontade. É, como vocês dizem, “o que se deve fazer”. Velhas brigas são esquecidas, os que entraram em desacordo consentem em concordar mais uma vez, mesmo que seja temporariamente.
Johnson assentiu.
– Fazer as pazes, isso mesmo.
Poirot prosseguiu com sua explanação.
– As famílias, agora. Famílias que estiveram afastadas durante o ano todo reúnem-se mais uma vez. Bem, nessas condições, meu amigo, você tem de admitir que haverá muita tensão. Pessoas que não se sentem cordiais fazem um grande esforço para aparentar cordialidade. Existe, no Natal, muita hipocrisia, hipocrisia louvável..."

“– Mon cher, todos mentem. Às vezes é necessário. É importante separar as mentiras inócuas das mentiras vitais.”

Cai o Pano - Agatha Christie

“Todos, meu amigo, precisam de uma pitada de perigo em suas vidas. Alguns conseguem isso por meio de outros, como nas touradas. Outros lêem sobre o perigo. Outros vao procurá-lo no cinema. Mas de uma coisa estou certo, muita segurança é incompatível com a natureza humana.”

“A verdade quase nunca é apreciada. E no entanto se ganha muito tempo e se evita muita conversa fiada falando a verdade.”

“Todo mundo é um assassino em potencial. Em todo mundo surge, de vez em quando, o desejo de matar anida que não a determinação de matar. Quantas vezes você já não sentiu ou ouviu as pessoas dizerem: ‘Ele me deixou tão furioso que poderia matá-lo!’; ‘Eu poderia trer matado D por ter dito tal e tal coisa!’; ‘Eu estava com tanta raiva que poderia tê-lo estrangulado!’ E todas essas afirmações são literalmente verdadeiras. Nossa intenção nesses momentos é bastante clara. Você gostaria de matar fulano. Mas você não o faz. Sua determinação tem que estar de acordo com seu desejo.”

Gota d'água - Chico Buarque; Paulo Pontes

“Escute, rapaz,
você já parou pra pensar direito
o que é uma cadeira? A cadeira faz
o homem. A cadeira molda o sujeito
pela bunda, desde o banco escolar
até a cátedra do magistério.
Existe algum mistério no sentar
que o homem, mesmo rindo, fica sério
Você já viu um palhaço sentado?
Pois o banqueiro senta a vida inteira,
o congressista senta no senado
e a autoridade fala de cadeira
o bêbado sentado não tropeça,
a cadeira balança mas não cai
É sentando ao lado que se começa
um namoro. Sentado está Deus Pai,
o presidente da nação, o dono
do mundo e o chefe da repartição
O imperador só senta no seu trono
que é uma cadeira co’imaginação
Tem cadeira de rodas pra doente
Tem cadeira pra tudo que é desgraça
Os réus têm seu banco e o próprio indigente
que nada tem, tem no banco da praça
um lugar pra sentar. Mas mesmo as meninas
do ofício que se diz o mais antigo
Têm escritório em todas as esquinas
e carregam as cadeiras consigo
E quando o homem atinge o seu momento
mais só, mais pungente de toda a estrada,
mais uma vez encontra amparo e assento
numa cadeira chamada privada.”