Os cinco porquinhos - Agatha Christie

"As crianças às vezes conhecem muito bem as pessoas."

"A verdade, Mr. Blake – disse ele tem o hábito de se revelar por si mesma. Até depois de muitos anos."

"O amor ao drama é muito poderoso na espécie humana."

"– Mas creio que os fatos são de domínio público.
– Sim. Porém não sua interpretação."

"Cada um paga suas dívidas. Como é maravilhoso a gente sentir-se em paz!"

"As pessoas que mais nos prejudicam são aquelas que nos ocultam a realidade."
 
"A versão aceita de certos fatos não é necessariamente a verdadeira."

"...é com os olhos do espírito que realmente vemos."

O último adeus de Sherlock Holmes - Arthur Conan Doyle

“É um grave erro alimentar idéias preconcebidas, pois, insensivelmente, a pessoa procura torcer os fatos a fim de adaptá-los às próprias teorias.”

“– Qual é o significado de tudo isso, Watson? – proferiu Holmes, em tom solene, ao terminar a leitura. – Que propósito anima este círculo de desgraças, violências e terror? Deve tender a um fim. De outro modo, nosso universo seria governado pelo acaso, o que é inadmissível. Mas qual será esse fim? Eis o imenso, imutável e eterno problema para o qual a mente humana se encontra mais longe do que nunca de dar solução.”

"Uma das características mais notáveis de Sherlock Holmes era a capacidade de afastar as preocupações de sua frente fixando-se em coisas de menor importância, quando se convencia não lhe ser possível continuar a trabalhar com proveito."

"É estranho como o cérebro controla o cérebro."

A extravagância do morto - Agatha Christie

"Quando se sabe o que se está procurando, fica bem fácil, Hercule Poirot disse a si mesmo. Mas ninguém sabe o que procurar. De modo que se procura no lugar errado pelas coisas erradas."